Chackra Sexual – Swadhishthana a Morada do Prazer

Nome em sânscrito: Swadhishthana, Morada do Prazer
Localização: está a aproximadamente a 4 cm abaixo da cicatriz umbilical.
Pétalas: 6
Cor: Laranja avermelhado (se estiver muito sutil pode assumir um tom mais dourado ou até branco).

     O Chackra Sexual está ligado às gônadas (ovários e testículos). Possui vários nomes em outras culturas como Tan Tien Inferior (China) e Hara (Japão). Controla as vias urinárias, gônadas e os genitais. É um grande armazenador de vitalidade (Jing, essência – China) já que suas estruturas são capazes de gerar um novo ser vivo. Quando está em harmonia, promove um grande aporte de vitalidade para todo o corpo.
     Está ligado intimamente aos desejos. Aos desejos em geral e não somente aos sexuais.   O nome Morada do Prazer não se refere somente às sensações sexuais, mas a todo prazer que advém das nossas percepções sensoriais. É importante frisar que a pele é o nosso maior órgão sensorial, repleto de poros e micro-chackras onde temos amplas sensações. O maior ou menor desenvolvimento desse centro está relacionado a nossa capacidade de manifestação dos desejos.
     Desequilíbrios nesse centro podem gerar aversões ao contato físico, repugnância pelo próprio corpo, frigidez, impotência, falta de apetite sexual etc.

Manipura, Cidade das Jóias, Repleto de Jóias

Nome em sânscrito: Manipura, Cidade das Jóias, Repleto de Jóias.
Localização: Aproximadamente 1 cm acima da cicatriz umbilical.
Pétalas: 10
Cor: Amarelo, as cores dependem da emoção.

       O Chackra Umbilical é um grande centro que irradia luz por toda a área interna do abdômen, abrangendo desde a barriga até a boca do estômago. A glândula ligada ao Chackra Umbilical é o  pâncreas. Os hormônios produzidos pelo pâncreas têm grande influência na glicemia. Sua principal função é extrair o prana – a energia – dos alimentos. Às vezes é chamado de Chackra do Plexo Solar, pois ele também o energiza. É importante lembrar que o Plexo Solar é uma estrutura física, situada posteriormente ao estômago e anteriormente à coluna. O Chackra Umbilical coordena vários outros chackras secundários, como por exemplo, o  Esplênico e o Chackra do Fígado.
       Quando bem harmonizado, funciona como um radar psíquico. Ele habilita o indivíduo a perceber as energias do local e das pessoas. Serve como um alerta das energias e espíritos adjacentes.
Por estar relacionado com a digestão, o Umbilical trabalha com as nossas entranhas, a nossa parte instintiva. Nada mais justo, então, ser de responsabilidade desse chackra radicar nossas emoções mais instintivas, como raiva, ciúme, remorso etc. É uma região muito tensa e, quase sempre, se encontra debilitada.
       Do ponto de vista mental, está relacionado com a nossa capacidade racional e lógica. Quando em desarmonia, alimenta o sentimento de inferioridade. A lógica e a razão são prejudicados, gerando confusão e insegurança. Pode produzir patologias como: diabetes, desordens gastro-intestinais, alergias, separação entre amor e sexo.

Anahata, O Invicto, A Câmara Secreta do Coração.

Nome em sânscrito: Anahata, O Invicto, A Câmara Secreta do Coração.
Localização: No meio do peito, próximo ao coração
Pétalas: 12
Cor: Verde, rosa, amarelo (devido ao prana da respiração), azul, a cor depende do sentimento.

       Para os hindus, o princípio espiritual mora no Chackra do Coração. Quando o espírito vem para uma experiência carnal, ele entra pelo Chackra Coronário e se aloja na Câmara Secreta do Coração. Na China, é falado que o Shen (espírito e  consciência) também mora no coração.
       O Chackra Cardíaco está ligado à glândula Timo, importante no sistema imunológico.
       Na maioria dos livros ocidentais o Chackra do Coração é posicionado um pouco para esquerda. Existe um chackra secundário, que está ligado ao coração físico e se encontra do lado esquerdo, um pouco acima do mamilo. O Chackra Cardíaco – o principal – nasce na coluna e irradia para o centro do peito (entre os mamilos) com uma abertura para frente e para trás, como todos os outros chackras com exceção do Coronário e do Básico.
       Sua função é energizar o sistema cardio-respiratório e processar a energia que vem da respiração, combinando-a com a energia celestial e com a  telúrica, bombeando-as para todo o corpo.
       É o Chackra por onde expressamos os nossos melhores sentimentos. Sentimento não é igual a emoção. Um exemplo claro é o amor, o amor é sentimento, é incondicional e  puro – já o apego é emoção.
       O Chackra do Coração é o nosso verdadeiro centro afetivo. Quando esse Chackra está aberto, nos sentimos um canal de compaixão. Um abraço sincero é um beijo de chackras cardíacos. As preces sinceras, sem egoísmo e sem segundas intenções, nascem no coração. Mágoa, ressentimentos e ódio agridem esse centro, que vai bombear essas energias por todo o corpo, envenenando todas as células.
      Nas escolas esotéricas, o Anahata é simbolizado com um triângulo para cima interposto com um triângulo para baixo (Estrela de Salomão).  Ou seja, ele é aquele que equilibra as energias que vêm do alto e as que vêm de baixo.
      Quando esse Chackra não está funcionando bem, somos incapazes de amar. O amor é substituído por apego e egoísmo. Sua desarmonia produz patologias como: arritmia cardíaca, cãibras, hipertensão, enfermidades no pulmão, síndrome do pânico, etc. 

Vishuddha, O Purificador

Nome em sânscrito: Vishuddha, O Purificador
Localização: No meio da garganta
Pétalas: 16
Cor: Azul celeste, mas varia de acordo com o que está se expressando.

O Chackra Laríngeo está ligado às glândulas tireóide e para-tireóides. Ajuda na desintoxicação do metabolismo – como seu próprio nome já diz. O Laríngeo auxilia na captação de energia do ar, o prana, direcionando-o para as cordas vocais, laringe, faringe e traquéia. É responsável basicamente por 3 áreas:  parte média da respiração;  mastigação e deglutição (a primeira parte da digestão ocorre na boca); comunicação (nossa capacidade de expressar está ligada a esse centro).
É uma barreira para que as energias emocionais não subam indiscriminadamente para os chackras superiores. Ele faz a filtragem daquilo que sentimos com o que pensamos para podermos nos expressar melhor. É também associado à lucidez e à clariaudiência.
Esse chackra é agredido em situações nas quais falamos demais ou de menos (vulgo “engolir sapo”). É importante expressar o que pensamos de forma educada e inteligente.
Seu desequilíbrio pode ocasionar: rouquidão, gagueira, dificuldade em se comunicar, bruxismo, infecções virais (amidalites e faringites). A pessoa com um Laríngeo muito bloqueado geralmente anda com a cabeça curvada para baixo.

Sincronicidades

    Um caso que costumo citar nos cursos é de uma senhora na qual a gente tratou por muito tempo e depois veio a fazer parte do nosso grupo. Ela há dez anos havia perdido o filho poucos dias depois do parto. Não lembro bem do quadro, mas lembro que ela teve eclampsia e perdeu os dois rins, ou seja ela faz hemodialise há mais de dez anos.

   Nós conversavamos muito pois ela ainda não tinha mexido no quarto do menino e ela era espírita e não entendia porquê ele não havia contactado ela. Nessa época o grupo era bem pequeno e a senhora apresentava claramente um deficit de essência (energia que é armazenada nos rins). Quando eu olhava pra ela parecia que eu olhava pra um defunto. Mas bem, certo dia eu estava em casa olhando no site da Rádio IPPB e vi uma mensagem de filhos desencarnados para os pais, peguei ela e gravei num cd. No dia do trabalho levei e deixei a mensagem tocando durante a aplicação.

  A clarividente disse que enquanto a mensagem tocava apareceu na sala uma indiana com um monte de crianças que ficavam correndo na sala e fazendo carinho e cosquinhas na gente e na senhora. Teve até um que trouxe flores pra gente. No final da aplicação ela estava muito emocionada (a mensagem realmente é muito legal).

    Ai vem a melhor parte… ela me pergunta… como é que vc sabia que faz dez anos que ele morreu. Eu não fazia nem idéia, eu tava na Internet deparei com a mensagem gravei pra ela na inocência e bimba. Coincidência?

    Ela continuou com a gente por muito tempo, mais na acupuntura que no reiki, pra tentar melhorar a questão da essência. Foi melhorando esplendorosamente e depois que fez o curso de reiki era uma das alunas mais aplicadas e outro dia me ligou toda feliz - em uma sessão de hemodialise há alguns anos tinha contraído o virus da Hepatite e depois que fez o curso, começou a meditar e aplicar reiki regularmente e no seu exame o virus não aparecia mais. Hoje é outra pessoa, mais disposta, feliz, confiante, sempre disposta a ajudar. E ela já mexeu no quarto e resolveu o problema. Com paciência, amor e perseverança a gente consegue muita coisa. 

Aplicando Reiki em desencarnados – I

      Um caso que chegou a me emocionar foi de uma senhora que eu tratei por mais de um ano. Ela tinha mais de 70 anos e bancava financeiramente a sobrinha que tinha quase uns quarenta. O caso das duas era muito complicado e extremamente conflituoso, inclusive incorrendo em vários episódios de agressão física. Eu tratava as duas com reiki e tinha conseguido poucos ganhos (no meu ver). Energeticamente elas já estavam melhorando mas quando brigavam quase sempre tinha um episodio de agressão física. Eu já havia orientado para dar queixa milahres de vezes, mas como já disse o caso delas era muito complexo.

Um dia  eu pedi que a senhora fosse no trabalho voluntário. Quando ela entrou na sala tive uma impressão diferente e perguntei a clarividente quem estava ali junto com ela. Ela me descreveu o que aparentava ser um escravo da época colonia. Ele possuía as argolas das algemas nos pulsos mas a corrente que unia as duas estava quebrada.

O atendimento começou, eu deixei o grupo aplicar reiki nela e me pus ao lado da maca (aonde o escravo estava parado). Usei o HSZSN e começei a aplicar reiki no escravo. A minha aura prontamente se expandiu muito (talvez algo guia tivesse se aproximado demais) e comçou a vir vários pensamentos na minha cabeça. Começei então a conversar mentalmente com ele (mais um monologo é verdade). Falei pra ele que sacanagem ele já tinha sofrido pra caramba na mão dela e tava ali agora continuando sofrendo mas por opção própria. Falei que existem leis que nós fazem pagar o que devemos e que ela iria ter que aprender a lição dela mas que ele não precisava continuar ali, que era hora de parar, de caminhar, que tantos amigos deles já tinham caminhado e que estavam próximos a ele mas que o ódio e a dor,a vingança não deixava ele ver, tava na hora de parar de sofrer. Que era hora que quebrar aquelas algemas, dele ser verdadeiramente livre. Nesse momento a clarividente pegou as minhas mãos e posicionou para baixo  (depois ela me contou que ele estendeu as mãos para mim). Com a decisão dele a energia corroeu as algemas e elas quebraram e ele então desmaiou. Naquele dia nós tinhamos feito uma limpeza na sala trabalhando muito com elementais e a sala estava repleta deles. Os elementais então envolveram ele e levaram para algum local de tratamento.

Quando abir os olhos a clarividente estava chorando e me contou que a senhora em uma dada vida mandava bater muito naquele escravo que não aceitava se subjugar até que ele efetivamente morreu de tanto apanhar. Ele nutria ódio por ela e nas brigas com a sobrinha ele induzia a sobrinha a bater nela. Depois que ele foi embora os problemas entre elas continuaram mas os epísodios de agressão física praticamente se extinguiram.

Chackra Frontal – Ajna

Nome em sânscrito: Ajna
Localização: Logo acima da região entre as sobrancelhas, chegando até ao meio da testa.
Pétalas: 96
Cor: Azul Índigo, também possui muito branco e amarelo.

                 O Chackra Frontal é responsável por captar a energia do meio ambiente para os olhos e o canal nasal. Está ligado à glândula hipófise, que controla todas as glândulas endócrinas abaixo dela. Pode se deduzir, então, a importância desse Chackra em todos os demais.
                Está relacionado com a inteligência num sentindo mais amplo que o intelecto. É o Chackra do aprendizado e do raciocínio elevado. É a sede da nossa mente, onde se dá  a sequenciação  lógica do nosso pensamento. Em conjunto com o Bindu (chackra secundário), trabalha os aspectos de abstração imaginativa e intuitiva.
Atua diretamente na clarividência e na intuição. Quando está hiperativo, promove uma sensação de pulsação e calor na testa. É o Chackra mais fácil de sentir, uma vez que está ligado aos olhos – local onde quais a maior parte da nossa energia mental escapa (sentido que mais usamos).  
                Desequilíbrios nesse chackra podem causar: falta de objetivo, instabilidade, alienação, intelectualismo excessivo, vícios, problemas nos olhos etc.

Chackra Coronário – Sahasrara

Nome em sânscrito: Sahasrara, Lótus das Mil Pétalas.
Localização: no meio do alto da cabeça
Pétalas: 972
Cor: Violeta, branco puríssimo.

           O Chackra Coronário é o único que tem sua boca aberta para cima. Ele capta as energias cósmicas, estelares e energiza o cérebro, o sistema nervoso e a glândula Pineal.
A Pineal, dentro dos meios espirituais, tem extrema importância, sendo responsável por inúmeras faculdades psíquicas e as expansões da consciência. O principal nó que prende o espírito ao corpo físico está relacionado a essa glândula.
         Esse Chackra representa a própria expressão do divino. É através desse chackra que nossas aspirações espirituais mais profundas conseguem se manifestar nas vivências do dia-a-dia.
        Desequilíbrios nesse Chackra podem acarretar num materialismo excessivo, insônia, enxaqueca, desordens no sistema nervoso, histeria, neuroses, disfunções sensoriais, etc.

Um exemplo de uso de cristais no Reiki

      Uma cliente de quase uns 40 anos foi encaminhada para o nosso atendimento com Reiki. Nessa época atendiamos em um Centro Espírita, num local separado das reuniões e em um dia exclusivo. O trabalho era puramente com reiki sem nenhuma interferência nossa na Casa e nem deles em nós. Vez ou outra as entidades de outras reuniões encaminhavam pessoas. Bem, essa senhora possuía queixas muito difusas e a gente estava trabalhando mais um reequilibrio geral.

       Era uma pessoa com muitos bloqueios na região do chackra umbilical. Tinha muita mágoa, remorso, questões mal resolvidas (sua opção sexual não era aceita pela família que gerou inúmeros conflitos ao longo dos anos). O chackra mal girava. Alguns desses bloqueios se encontravam na nádi principal, uns quatro dedos acima do umbigo dificuldando a passagem da energia que descia e atrapalhando a que subia.

         Resolvemos dar uma atenção especial a região abdominal (que na maioria das pessoas é dançada, exatamente pelos chackras dessa região trabalharem com emoções mais primitivas, viscerais). O reiki parecia que mergulhava num buraco negro quando a gente aplicava ali, a clarividente em certa altura não conseguia ver o canal de energia descendo. Pegamos um cristal grande (quase dois palmos) e relativamente fino, biterminado e colocamos em cima da região. Quase que automaticamente a energia usou o cristal como via condutora deixando uma parte da nádi vazia. Começamos a tirar alguns bloqueios que saiam como figuras geometricas negras (cubos, piramides, prismas etc). Ao final retiramos o cristal e o canal se restabeleceu e as energias puderam passar. Com o chackra sendo melhor nutrido melhorou muito o quadro dela em geral e o sistema energético dela foi se reequilibrando mais rapidamente.

Caso II – Implantes astrais “de outros mundos”

        Outro caso interessante que nós atendemos foi um senhor de aproximadamente uns 40 anos com um nivel intelectual bom que veio até nós por causa de dores na barriga. Ele fazia parte de um grupo controverso que se reúne no Mato Grosso e havia cortado os laços com esse grupo. Logo na primeira sessão o que chamou a atenção era um pequeno aparato astral na altura da nuca, mas o mais interessante era que não era nada daqui. Logo de cara os guias astrais orientaram que o aparato não podia ser removido. O pior é que o moço sabia do raio do aparelho e nem queria que ele fosse removido. Segundo ele era um aparelho que modulava a frequencia vibratória do corpos energéticos, só que o raio do aparelho tava desregulado. Como eu fui descobrir depois existe uma grande diferença entre aparelhos astrais terrenos e não terrenos. Geralmente a tecnologia de fora machuca mais. Bem, a gente não podia tirar o aparelho então o máximo que conseguimos foi diminuir um pouco a adesão dele. No final a gente tinha desvirtuado da queixa do cliente e só pensavamos no raio do aparelho e eu falando um monte de asneira pra ele. Teve até um dia que eu fui aplicar reiki na nuca dele e saí com uma puta dor na barriga (que tava na altura do aparelho).

          Após várias sessões sem sair do lugar  decidi voltar ao objetivo principal. Quando falei com ele que ia parar de encher o saco por causa do aparelho e ia voltar a olhar a gastrite ele me disse. Um ser chegou pra mim durante a meditação essa semana e me disse que vc faria isso. Ai, eu pensei, que bom… Realizamos uma técnica kahuna de ”cirurgia energetica”. Foi tirado um puta emplastro do chackra umbilical dele. Ai as coisas ficaram mais claras. O grupo que ele tava e tal, quando ele saiu, ninguém sai de graça, mandaram aquela carga ali. Nas outras duas sessões repetimos a técnica e no final trabalhamos pra reestruturar o chackra. Resultado, nas últimas sessões o homem havia até esquecido de tomar seus remédios pra dor.

         E o aparelho… Com o tempo foi devidamente ajustado. Os guias durantes as primeiras sessões chegaram a cruzar as espadas na frente nossa pra proteger do pulso eletromagnético. Mas no fim ficou tudo bem. 

Como o reiki funciona?

 A energia vital não sustenta somente o corpo em atividade. Ao pensarmos, geramos formas de pensamento que possuem cor, forma e ocupam lugar no espaço.  Esses pensamentos são alimentados pela energia proveniente da nossa força vital. As emoções consumem mais força vital do que os pensamentos. Essa energia vital provém de várias fontes: do ar, dos alimentos, da água, do sol etc. Nos dias de hoje, respiramos um ar poluído, nossos alimentos carecem de qualidade nutritiva e vivemos enclausurados, longe das fontes de energia pura, vindas da natureza. Como resultado, é gerado um déficit de energia – não conseguimos repor tudo o que gastamos. O corpo, como uma máquina perfeita, possui mecanismos para tentar reverter esse processo. Logo, surgem os sintomas, a manifestação de que algo está errado.          Uma dor de cabeça, um problema de pele ou qualquer outro sintoma é uma forma de mostrar que algo precisa mudar. Muitas vezes, coisas simples, como descansar mais, tomar mais água e comer melhor, são fatores importantes que são negligenciados. O Reiki repõe a energia deficitária e dá ao corpo a capacidade de retomar a homeostase.
 Somos constituídos de energias polarizadas, Yin e Yang. O Yang está relacionado a características mais ativas e o Yin a características mais passivas. As pessoas dificilmente conseguem um equilíbrio entre esses dois pólos, recaindo em comportamentos característicos de um ou de outro. O Reiki, sendo uma energia apolar, reequilibra esses pólos, resultando em uma pessoa mais centrada e equilibrada.
 Outro fator importante, que concerne o funcionamento do Reiki, vem de nossa estrutura enérgica. Nossos corpos energéticos são formados por inúmeros centros e canais que podem sofrer drasticamente com padrões de pensamento e emoções deletérios. Raiva, ódio, ciúme, apego, todas as baixas emoções agridem os nossos corpos energéticos – gerando bloqueios e/ou deformando nossos centros distribuidores de energia. Isso acaba comprometendo as nossas funções psíquicas, emocionais e físicas. O Reiki atua nos bloqueios, dissolvendo-os e promovendo o livre fluxo de energia, assim como o restabelecimento do bom funcionamento dos nossos centros energéticos.
 O corpo, então equilibrado e com um bom fluxo de energia, tem melhores condições de se curar ante uma agressão – restabelecendo, assim, sua homeostase e garantido a manutenção da saúde nos níveis físicos, psíquicos e emocionais. 
    

Catarse

Catarse 
 
            O Reiki pode desencadear, no receptor, um processo de desintoxicação chamado de crise radical ou catarse. Esse processo se caracteriza por uma liberação das toxinas armazenadas e pode ser intenso e desagradável.
            A catarse pode fazer com que o receptor se sinta pior no início do tratamento que antes. O motivo é a liberação de toxinas e bloqueios estagnados. Imagine uma piscina com toda a sujeira decantada, o Reiki agita essa água para poder filtrá-la. Essa liberação deve ser encorajada e explicada ao receptor. Tomar muita água, alimentos depurativos, refeições mais leves, descansar mais, ajudam no processo.
     São comuns algumas alterações orgânicas: vômitos, bocejos, lacrimejamento, sensação nos ouvidos, dores, espinhas na pele etc. Uma disfunção orgânica muito comum, decorrente desse processo, é a diarréia (que não deve ser reprimida). Ela dura até no máximo 3 dias. O processo total de limpeza pode vir a durar no máximo 21 dias.  Terminada a catarse a pessoa se sentirá melhor do que há muito tempo. O apoio durante esse processo é muito importante.

Os sete chackras principais – localização

Dos bilhões de chackras existentes no corpo etérico, sete se destacam devido à sua conexão com as glândulas endócrinas. As glândulas endócrinas regulam todo o corpo através dos hormônios que são lançados diretamente na circulação sanguínea. Os Setes Chackras principais estão na linha axial do corpo. São eles:

Chackra Coronário – Topo da cabeça
Chackra Frontal – Logo acima da região entre as sobrancelhas, chegando até ao meio da testa.
Chackra Laríngeo – no meio da garganta.
Chackra Cardíaco – no meio do peito, entre os mamilos.
Chackra Umbilical – um centímetro acima do umbigo.
Chackra do Baixo Ventre ou Sexual – uns quatro centímetros abaixo do umbigo.
Chackra Básico – na base da coluna.

Duplo etérico

O corpo físico é formado de energia condensada, logo, ele também é um corpo energético. Nosso corpo físico é interpenetrado por outros corpos mais sutis que formam camadas energéticas em torno do corpo físico. Nosso sentido visual só é capaz de captar aquilo que reflete a luz visível e esses corpos, por sua natureza sutil, não refletem a luz, então, para visualizá-los é necessário desenvolver algumas capacidades psíquicas (clarividência, etc).

O duplo etérico é um campo energético bastante densificado, através do qual o corpo físico se une ao psicossoma. É uma zona intermediária, nem tão sutil, nem tão densa. Alguns pesquisadores chegam inclusive a afirmar que o duplo etérico possui massa. A consciência necessita desse campo – o duplo etérico -  para utilizar as células do cérebro físico. Sem o duplo, as emanações emocionais do psicossoma não teriam acesso à matéria física.
Desregramentos, vícios e substâncias corrosivas, como álcool, fumo, drogas, além de alguns medicamentos muito fortes, danificam o duplo etérico. Assim, as brechas formadas em nossa estrutura permitem que seres astrais nocivos lesem nossos corpos energéticos.

A saúde do duplo etérico está intimamente ligada à saúde do corpo físico, dos pensamentos, dos sentimentos e das emoções.

Chackras – Breve noção

Chackra em sânscrito significa Roda. São vórtices de luz que absorvem ou eliminam energia. Pode-se dizer que para cada poro físico tem-se um micro-chackra, que em conjunto formam uma verdadeira respiração energética. Os mestres antigos notaram que sete desses chackras se destacavam pelo tamanho e brilho e que eles estavam ligados a glândulas endócrinas do corpo.    

Além de promoverem a absorção, a eliminação e a circulação da energia, os chackras também tem um importante papel na ligação do psicossoma (corpo astral) com o corpo físico, fazendo um trâmite energético entre planos. Os chackras estão localizados no duplo etérico.
Os Chackras possuem uma tela que recobre sua boca, filtrando as energias que entram e que saem, garantindo a saúde do duplo etérico e do psicossoma. Várias substâncias agridem essa tela, como o cigarro, álcool, drogas e medicamentos muito fortes. O uso abusivo dessas substâncias traz sérias conseqüências ao bom funcionamento do nosso sistema energético.