Arquivos de Tags: energia

Chackra Sexual – Swadhishthana a Morada do Prazer

Nome em sânscrito: Swadhishthana, Morada do Prazer
Localização: está a aproximadamente a 4 cm abaixo da cicatriz umbilical.
Pétalas: 6
Cor: Laranja avermelhado (se estiver muito sutil pode assumir um tom mais dourado ou até branco).

     O Chackra Sexual está ligado às gônadas (ovários e testículos). Possui vários nomes em outras culturas como Tan Tien Inferior (China) e Hara (Japão). Controla as vias urinárias, gônadas e os genitais. É um grande armazenador de vitalidade (Jing, essência – China) já que suas estruturas são capazes de gerar um novo ser vivo. Quando está em harmonia, promove um grande aporte de vitalidade para todo o corpo.
     Está ligado intimamente aos desejos. Aos desejos em geral e não somente aos sexuais.   O nome Morada do Prazer não se refere somente às sensações sexuais, mas a todo prazer que advém das nossas percepções sensoriais. É importante frisar que a pele é o nosso maior órgão sensorial, repleto de poros e micro-chackras onde temos amplas sensações. O maior ou menor desenvolvimento desse centro está relacionado a nossa capacidade de manifestação dos desejos.
     Desequilíbrios nesse centro podem gerar aversões ao contato físico, repugnância pelo próprio corpo, frigidez, impotência, falta de apetite sexual etc.

Manipura, Cidade das Jóias, Repleto de Jóias

Nome em sânscrito: Manipura, Cidade das Jóias, Repleto de Jóias.
Localização: Aproximadamente 1 cm acima da cicatriz umbilical.
Pétalas: 10
Cor: Amarelo, as cores dependem da emoção.

       O Chackra Umbilical é um grande centro que irradia luz por toda a área interna do abdômen, abrangendo desde a barriga até a boca do estômago. A glândula ligada ao Chackra Umbilical é o  pâncreas. Os hormônios produzidos pelo pâncreas têm grande influência na glicemia. Sua principal função é extrair o prana – a energia – dos alimentos. Às vezes é chamado de Chackra do Plexo Solar, pois ele também o energiza. É importante lembrar que o Plexo Solar é uma estrutura física, situada posteriormente ao estômago e anteriormente à coluna. O Chackra Umbilical coordena vários outros chackras secundários, como por exemplo, o  Esplênico e o Chackra do Fígado.
       Quando bem harmonizado, funciona como um radar psíquico. Ele habilita o indivíduo a perceber as energias do local e das pessoas. Serve como um alerta das energias e espíritos adjacentes.
Por estar relacionado com a digestão, o Umbilical trabalha com as nossas entranhas, a nossa parte instintiva. Nada mais justo, então, ser de responsabilidade desse chackra radicar nossas emoções mais instintivas, como raiva, ciúme, remorso etc. É uma região muito tensa e, quase sempre, se encontra debilitada.
       Do ponto de vista mental, está relacionado com a nossa capacidade racional e lógica. Quando em desarmonia, alimenta o sentimento de inferioridade. A lógica e a razão são prejudicados, gerando confusão e insegurança. Pode produzir patologias como: diabetes, desordens gastro-intestinais, alergias, separação entre amor e sexo.

Caso II – Implantes astrais “de outros mundos”

        Outro caso interessante que nós atendemos foi um senhor de aproximadamente uns 40 anos com um nivel intelectual bom que veio até nós por causa de dores na barriga. Ele fazia parte de um grupo controverso que se reúne no Mato Grosso e havia cortado os laços com esse grupo. Logo na primeira sessão o que chamou a atenção era um pequeno aparato astral na altura da nuca, mas o mais interessante era que não era nada daqui. Logo de cara os guias astrais orientaram que o aparato não podia ser removido. O pior é que o moço sabia do raio do aparelho e nem queria que ele fosse removido. Segundo ele era um aparelho que modulava a frequencia vibratória do corpos energéticos, só que o raio do aparelho tava desregulado. Como eu fui descobrir depois existe uma grande diferença entre aparelhos astrais terrenos e não terrenos. Geralmente a tecnologia de fora machuca mais. Bem, a gente não podia tirar o aparelho então o máximo que conseguimos foi diminuir um pouco a adesão dele. No final a gente tinha desvirtuado da queixa do cliente e só pensavamos no raio do aparelho e eu falando um monte de asneira pra ele. Teve até um dia que eu fui aplicar reiki na nuca dele e saí com uma puta dor na barriga (que tava na altura do aparelho).

          Após várias sessões sem sair do lugar  decidi voltar ao objetivo principal. Quando falei com ele que ia parar de encher o saco por causa do aparelho e ia voltar a olhar a gastrite ele me disse. Um ser chegou pra mim durante a meditação essa semana e me disse que vc faria isso. Ai, eu pensei, que bom… Realizamos uma técnica kahuna de ”cirurgia energetica”. Foi tirado um puta emplastro do chackra umbilical dele. Ai as coisas ficaram mais claras. O grupo que ele tava e tal, quando ele saiu, ninguém sai de graça, mandaram aquela carga ali. Nas outras duas sessões repetimos a técnica e no final trabalhamos pra reestruturar o chackra. Resultado, nas últimas sessões o homem havia até esquecido de tomar seus remédios pra dor.

         E o aparelho… Com o tempo foi devidamente ajustado. Os guias durantes as primeiras sessões chegaram a cruzar as espadas na frente nossa pra proteger do pulso eletromagnético. Mas no fim ficou tudo bem. 

Como o reiki funciona?

 A energia vital não sustenta somente o corpo em atividade. Ao pensarmos, geramos formas de pensamento que possuem cor, forma e ocupam lugar no espaço.  Esses pensamentos são alimentados pela energia proveniente da nossa força vital. As emoções consumem mais força vital do que os pensamentos. Essa energia vital provém de várias fontes: do ar, dos alimentos, da água, do sol etc. Nos dias de hoje, respiramos um ar poluído, nossos alimentos carecem de qualidade nutritiva e vivemos enclausurados, longe das fontes de energia pura, vindas da natureza. Como resultado, é gerado um déficit de energia – não conseguimos repor tudo o que gastamos. O corpo, como uma máquina perfeita, possui mecanismos para tentar reverter esse processo. Logo, surgem os sintomas, a manifestação de que algo está errado.          Uma dor de cabeça, um problema de pele ou qualquer outro sintoma é uma forma de mostrar que algo precisa mudar. Muitas vezes, coisas simples, como descansar mais, tomar mais água e comer melhor, são fatores importantes que são negligenciados. O Reiki repõe a energia deficitária e dá ao corpo a capacidade de retomar a homeostase.
 Somos constituídos de energias polarizadas, Yin e Yang. O Yang está relacionado a características mais ativas e o Yin a características mais passivas. As pessoas dificilmente conseguem um equilíbrio entre esses dois pólos, recaindo em comportamentos característicos de um ou de outro. O Reiki, sendo uma energia apolar, reequilibra esses pólos, resultando em uma pessoa mais centrada e equilibrada.
 Outro fator importante, que concerne o funcionamento do Reiki, vem de nossa estrutura enérgica. Nossos corpos energéticos são formados por inúmeros centros e canais que podem sofrer drasticamente com padrões de pensamento e emoções deletérios. Raiva, ódio, ciúme, apego, todas as baixas emoções agridem os nossos corpos energéticos – gerando bloqueios e/ou deformando nossos centros distribuidores de energia. Isso acaba comprometendo as nossas funções psíquicas, emocionais e físicas. O Reiki atua nos bloqueios, dissolvendo-os e promovendo o livre fluxo de energia, assim como o restabelecimento do bom funcionamento dos nossos centros energéticos.
 O corpo, então equilibrado e com um bom fluxo de energia, tem melhores condições de se curar ante uma agressão – restabelecendo, assim, sua homeostase e garantido a manutenção da saúde nos níveis físicos, psíquicos e emocionais. 
    

Catarse

Catarse 
 
            O Reiki pode desencadear, no receptor, um processo de desintoxicação chamado de crise radical ou catarse. Esse processo se caracteriza por uma liberação das toxinas armazenadas e pode ser intenso e desagradável.
            A catarse pode fazer com que o receptor se sinta pior no início do tratamento que antes. O motivo é a liberação de toxinas e bloqueios estagnados. Imagine uma piscina com toda a sujeira decantada, o Reiki agita essa água para poder filtrá-la. Essa liberação deve ser encorajada e explicada ao receptor. Tomar muita água, alimentos depurativos, refeições mais leves, descansar mais, ajudam no processo.
     São comuns algumas alterações orgânicas: vômitos, bocejos, lacrimejamento, sensação nos ouvidos, dores, espinhas na pele etc. Uma disfunção orgânica muito comum, decorrente desse processo, é a diarréia (que não deve ser reprimida). Ela dura até no máximo 3 dias. O processo total de limpeza pode vir a durar no máximo 21 dias.  Terminada a catarse a pessoa se sentirá melhor do que há muito tempo. O apoio durante esse processo é muito importante.